sexta-feira, 3 de outubro de 2008

Enquanto...


Enquanto o tempo não passa - 09/05/2008


Ela não sabe o que está passando
O estômago dói, a cabeça gira,
E a cena volta
E a volta da roda de enrola.

Ela observa as tatuagens
Nos tornozelos, na lua e no sol,
E as pernas saudáveis
Incita-a fazer versos.

Ela se estrutura em sentidos,
Em métricas indefinidas,
No tempo que passa
Na imaturidade de sua vida.

Ela só pensa nela
E não se define,
Apaixona-se na aula de grego
No sorriso, na boca e delira.

3 comentários:

azuladovermelho disse...

...e enquanto o tempo cronometrico nos assalta...beijo...sim sao pensamentos e sentimentos...

Cássia disse...

Dessa história, acredito que sempre estamos prontos prá outra e carregamos uma euforia, mas só o tempo indica cada segundo vivido, de um amor sem fim...sem preocupação de onde estamos e para onde vamos...é só...puro e cristalino...assim, como alguns segundos fora do ar!Bjsssss*K*.*

 Fabíola Weykamp disse...

Obrigada pela visita!
Adorei o teu blog. A tua escrita. Própria. Muito intensa! Cativante!

Beijo. :)