domingo, 6 de fevereiro de 2011

Ritmos



Ao som do rock and roll com um toque de samba o samba se faz dentro dela. Seus pés descordenados dançam uma dança tão estranha... o joelho dobra, o gingado daquela moça o fascina... mas o “O” a incomoda tanto... queria que fosse “A”.

A saia rodada, o cabelo cheio de cachos soltos, o sorriso nos lábios e o suor escorrendo pelo rosto... As unhas pintadas, a pinta na palma da mão... de pés descalços no cimento do fundo do quintal, a planta não áspera... de pernas cruzadas, as coxas à mostra na sua total sensualidade.

Mesa de madeira, a cadeira um pouco afastada do palco... cotovelos apoiados e os olhos admirando a apresentação... o solo perfura seus tímpanos, as correntes elétricas perpassam seu corpo, ela se levanta e fica de frente a beldade que admira. Uma guitarra. Pega pela sua cintura, coloca em seu colo e tira o som que a tanto tempo desejava ouvir de suas cordas... Ela se deita e chora...

O violão e a voz ao fundo a chama... caminha com seus pés aflitos em busca da sinfonia que a atrai.... prosta-se em frente àquela imagem e pensa... uma luz sai do seu corpo, flutua e vai embora...

O samba que toca dentro de si é o rock que se expressa fora do seu eixo... os acordes às vezes parecem o mesmo, mas muitas influências externas modificam o que está sendo criado... e ela... ela ao seu ritmo vai levando seus sonhos mais transtornados... ela vai-se... deixa-se para torna-se.

3 comentários:

Vanishing in the air disse...

Lindo post! ;D

jhamiltonbrito.blogspot.com disse...

O quadro se apresenta à nossa frente, tão real, que impressiona.,Isso acontece pela simplicidade e correção com o texto é exposto. Te admiro, criatura.

Poeira Viajante disse...

Parabéns pelo blog, está muito bacana. Vou voltar mais vezes. Dá um pulo no meu, tem poesias também. http://poeiraviajante.blogspot.com/
Abraço grande