sábado, 24 de fevereiro de 2007


Sonho de valsa – 08-09/06/2006

Presenteei-te com um bombom
O encantado sonho de valsa.
Com ele quis mostrar
Que você é essencial pra mim
Tudo vira magia quando penso em você.

Junto do bombom havia um bilhete
Tão simples como as estrelas
Que dizia: “Você é meu sonho”,
Foi difícil escolher um
Por mim daria todos os recados possíveis
Só pra ver seu rosto de felicidade,
Ver seus olhinhos brilhando...


Meu amor,
Você é mais que um sonho pra mim,
Mais que uma ilusão,
São todas as sensações maravilhosas
Que enlouquece o ser humano.

Você é minha doença, meu vício
É meu sonho de valsa que não me pertence
Que baila todas as noites no meu peito
Que perfura minha alma e penetra em meus pensamentos.

Você é o que não posso ter,

O que não posso amar
É um sonho que não quer se realizar.

Um comentário:

cássia disse...

Oi, Bia!Comentava outro dia com o Ventura: como é envolvente ler seus poemas, e este desde do início confesso que uma pontinha de nostalgia me encantou(me trouxe de volta aos tempos da escola)...e como me afastei dessa forma!!Vou voltar sempre!!bjs doce no seu coração!!